Ex-presidente, Raimundo Viana, tenta adiar eleição para presidente no Vitória 1

Na visão do pré-candidato, cargo de vice-presidente não pode ser dado como vago

O pré-candidato à presidência do Vitória, Raimundo Viana, solicitou, na manhã desta terça-feira (5), a impugnação do edital que convoca a eleição para o cargo máximo do clube, marcada para o dia 13 de dezembro.


Na noite de segunda-feira (4), o Conselho Deliberativo rubro-negro realizou uma rerratificação do edital, publicado originalmente no dia 29 de novembro. Foi incluído no texto que a eleição será também para o cargo de vice-presidente. Na versão original, os sócios escolheriam apenas o novo presidente do clube.

Em contato com o CORREIO, Viana explicou os argumentos do seu pedido: “Uma rerratificação visa consertar a data ou o local das eleições. Neste caso, não, é praticamente uma eleição nova que foi convocada. Foi colocado para ser votado um cargo de extrema importância para o clube”, alega o pré-candidato.

“Além disso, entendo que abriram votação para um cargo que não está vago no clube. Até onde entendo, Agenor (Gordilho Neto) ainda é o vice-presidente do Vitória, ele não renunciou a nada. Se tiver renunciado, quero ver o ato comprovando isso”, completou Raimundo Viana.

Procurado pelo CORREIO, o presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Paulo Catharino Filho, disse não ter recebido até o final da manhã desta terça nenhum pedido de impugnação.

Se o pleito de Viana for aceito, a eleição marcada para o dia 13 de dezembro pode ser adiada. “Se eles entendem que o cargo de vice-presidente está vago, peço que seja aberto um novo prazo de dez dias úteis até a eleição”, explicou o pré-candidato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui