Vitória estreia mando de campo na Arena Fonte Nova neste sábado, em partida contra o Guarani, pela Série B

A partir deste sábado, o Vitória estreia em sua nova casa, a Arena Fonte Nova, depois de costurar um acordo com o consórcio que administra o estádio para jogar no local pelos próximos três anos.

O primeiro compromisso é diante do Guarani, lanterna da Série B, e a expectativa é de que os torcedores comprem a ideia e compareçam em peso. O duelo está marcado para 16h30 deste sábado (horário de Brasília).

Por mais que tenha sua história ligada ao Barradão, o Vitória coleciona episódios marcantes na Fonte Nova desde a sua reinauguração, em 2013, seja como mandante ou na condição de visitante. Para deleite do torcedor rubro-negro, o GloboEsporte reuniu cinco deles. Aproveite!

Sapecadas no rival, ASSISTA:

A reinauguração da Arena Fonte Nova está na memória de qualquer torcedor rubro-negro. Logo no primeiro jogo do novo estádio, em 2013, o Vitória aplicou uma goleada de respeito para cima do Bahia: 5 a 1. Renato Cajá marcou o primeiro gol da Arena, e a festa foi completada por Maxi Biancucchi, Michel, Vander e Escudero.

Nem o mais otimista torcedor imaginava que o Vitória pudesse repetir a goleada cerca de um mês depois – e de maneira ainda mais contundente. Comandado por Dinei, que balançou as redes quatro vezes, o Leão aplicou 7 a 3 no rival, para o delírio da galera. Gabriel Paulista, Fabrício e Maxi Biancucchi marcaram os outros gols. ASSISTA:

A festa do acesso

A euforia do acesso à Série A ao fim de 2015 teve como palco a Fonte Nova, que recebeu a partida entre Vitória e Luverdense. Com gols de Elton e Kanu, além de um golaço de falta de Escudero, principal jogador daquela equipe, o Rubro-Negro venceu por 3 a 0. A equipe disputou quatro jogos daquela Segundona na Arena, com média de público de 25.086.

Torcida na bronca

Nem tudo foram flores na relação entre Vitória e Arena Fonte Nova. Em um jogo pela Série A de 2013, quando mandava um jogo contra o Goiás, o telão do estádio exibiu um escudo errado da equipe rubro-negra, que trazia a palavra “vice” em vez de ECV. A torcida, é claro, ficou na bronca, e a Arena precisou se retratar.

Título das máscaras

Arena Fonte Nova: confira cinco momentos marcantes do Vitória desde a reabertura - 2019 1
Caíque usa máscara de Marcelo Sant’Ana — Foto: Ruan Melo

Em 2016, o Vitória aproveitou a vantagem construída no Barradão para levantar o título de campeão baiano na Fonte Nova, mesmo tendo sido derrotado por 1 a 0. Eufóricos após o apito final, os jogadores fizeram a festa e aproveitaram para provocar o então presidente do Bahia, Marcelo Sant’Ana, utilizando máscaras que faziam referência ao dirigente chorando.

Confusão e gritaria

Como esquecer do Ba-Vi de 2017 que terminou em confusão generalizada, incluindo até mesmo os dois treinadores, Argel Fucks e Guto Ferreira? O Bahia venceu por 2 a 0, ficou com a vaga para a final da Copa do Nordeste, e o técnico rubro-negro partiu para cima do volante Edson, provocando uma confusão generalizada que se estendeu até os vestiários.

LEIA TAMBÉM: Credcesta, novo patrocinador do Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui