Cinco do Vitória são expulsos, e Ba-Vi termina 11 minutos mais cedo; Bahia deve ser declarado vencedor 1

A promessa de um clássico de paz, no primeiro Ba-Vi do ano, não saiu do papel. No jogo que marcava o retorno da torcida mista, os jogadores de Bahia e Vitória não deram exemplo e protagonizaram cenas de pancadaria no Barradão. O placar, por incrível que pareça, ficou em segundo plano diante de um jogo com nove expulsos e que sequer acabou do jeito convencional. Quando o placar marcava 1 a 1, o Rubro-Negro ficou sem jogadores suficientes em campo e o árbitro encerrou o confronto. Pelo Regulamento Geral de Competições da CBF, o Bahia é declarado vencedor pelo placar de 3 a 0.


O Bahia empatou logo aos 4 minutos. Após cobrança de escanteio, Uillian Correia desviou a bola com a mão dentro da área. O árbitro marcou pênalti, que foi convertido por Vinícius. Na comemoração, o meia tricolor dançou na frente do local onde fica a principal organizada do Vitória. Os jogadores rubro-negros não gostaram e partiram para cima do tricolor. Uma confusão foi iniciada e resultou nas expulsões de sete jogadores: Vinícius, Edson, Becão e Lucas Fonseca, pelo Bahia, Rhayner, Kanu e Denilson, pelo Vitória. Com um mais, o Tricolor partiu para cima. Nino quase marcou, em vacilo de Bryan. A situação ficou mais delicada para o Vitória após expulsão de Uillian Correia, que cometeu falta em Zé Rafael. Bruno Bispo “peitou” Jailson Macêdo Freitas e também recebeu o cartão vermelho, que foi comemorado pelo torcedor. Com o Vitória com apenas seis jogadores em campo, o árbitro encerrou a partida aos 34 minutos.

CENAS LAMENTÁVEIS! CONFUSÃO NO BAVI! pic.twitter.com/uRQE8a4fyg

— Vitória Online 🦁 (@vitoriaonlinee) 18 de fevereiro de 2018

Os termômetros apontavam 27° em Salvador. Mas no campo do Barradão, a temperatura foi muito maior. Os minutos iniciais do primeiro Ba-Vi da temporada contaram com lances perigosos, defesas difíceis e polêmica. Após cobrança de falta, Kayke desviou de cabeça e obrigou Fernando Miguel a fazer grande defesa. O Rubro-Negro respondeu com Kanu, que invadiu a área sozinho e chutou em cima de Douglas. Aos 33, Neilton dividiu um lançamento com Tiago. Na sobra, Rhayner achou Denilson dentro da área. Na primeira chance, o atacante acertou em cheio o goleiro do Bahia. No rebote, com o gol vazio, ele abriu o placar. Os jogadores do Bahia reclamaram bastante do lance. Eles afirmaram que Neilton havia tocado a bola com o braço. Jailson Macêdo Freitas chegou a consultar o auxiliar antes de confirmar o gol rubro-negro.

Art. 56 – Nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete (7) atletas ou com a ausência de um dos clubes disputantes.

§ 3º – Após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa.

§ 4º – O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3 x 0) para a equipe adversária.

§ 5º – Os impedimentos automáticos e as penalidades impostas pelo STJD pendentes de cumprimento pelo clube ou pelos atletas do clube que não deu causa ao W.O., serão considerados cumpridos em ocorrendo quaisquer das hipóteses constantes do caput ou parágrafos deste artigo.

Na quarta-feira, às 21h45 (horário de Brasília), o Vitória encara o Jacuipense no estádio Valfredão, em partida atrasada da 5ª rodada do Campeonato Baiano. O Bahia entra em campo no dia seguinte, às 21h15, o Bahia entra em campo para enfrentar o Náutico, na Arena Fonte Nova, pela Copa do Nordeste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui